Regras do judô – Faixas, história, técnicas, pontuação

O judô é uma arte de origem oriental, que envolve a disciplina do corpo e da mente. Nesse artigo você aprenderá tudo sobre as regras do judô.

Regras do judô

Graças à popularidade que o judô conquistou nesses últimos anos, tornou-se em 1964 um esporte olímpico. As regras do judô são baseadas numa combinação essencial de força e equilíbrio. A vitória é atribuída pela avaliação da melhor técnica de segurar e lançar.

Tatame

É a área de disputa (shiaijo) feita de palha acomodada em blocos e coberta por uma lona verde de 9 metros quadrados ao redor da qual há uma faixa vermelha de 1 metro de largura, chamada área de perigo.

Esta, por sua vez, é rodeada por uma área de segurança, também de lona verde, para prevenir ferimentos. A área total de competição é de 16×16 metros.  A luta deve ser executada dentro dos limites da área de combate e seguindo rigorosamente as regras do judô.

Limites de peso

Segundo as regras do judô, a divisão de pesos é realizada da seguinte maneira:

  • Peso leve 63 kg
  • Peso médio ligeiro 70 kg
  • Peso médio 80 kg
  • Peso meio pesado 93 kg
  • Peso pesado – acima de 93 kg
  • Livre – qualquer peso

Arbitragem

A luta é dirigida por um arbitro que, geralmente, permanece dentro da área de combate e que conduz a luta. Também participam dois juízes especialistas nas regras do judô, que o auxiliam de suas posições em cantos opostos, na área de segurança.

Inicio

Os competidores, em pé, frente a frente, saúdam-se a uma distância de 4 metros e fazendo uma reverência com o corpo. A luta começa quando o árbitro diz “hajime”. Os movimentos, começam com os lutadores em pé na área de combate.

saudação

Duração

Uma luta de judô tem, por via de regras, no mínimo de 3 e no máximo de 20 minutos, combinada previamente. A luta pode ser temporariamente interrompida sob a chamada de matte:

  • Se os competidores estão a ponto de saírem da área de combate;
  • Depois de uma infração se houver ferimentos;
  • Para arrumar a vestimenta;
  • Para desvencilhar os lutadores de golpes não produtivos.
  • Por algum movimento que venha a infringir as regras do judô.

No final da competição, os lutadores retornam a seus lugares de início e, depois da decisão, saúdam um ao outro com reverência. No final de uma luta não decidida o juiz coloca os competidores na posição Inicial e diz: “hantei”.

Os Juízes levantam uma bandeira branca ou vermelha para Indicar o vencedor, ou ambas para indicar um empate. O árbitro, então, dá a sua decisão e o resultado obedece à maioria.

Contagem

Os competidores são julgados segundo as técnicas de lançamento (nagewaza) e de imobilização (katamewaza). As violações às regras do judô são também levadas em conta. No vídeo abaixo podemos observar as pontuações aplicadas.

Ippon

De acordo com as regras do judô, conseguindo um ippon (um ponto) um competidor vence completamente. O ippon é obtido quando:

  • For dado um golpe de força considerável;
  • For levantado o oponente até a altura dos ombros;
  • For dada uma “gravata efetiva mantendo o golpe durante 30 segundos (imobilização).

Se o competidor falha ao executar um ippon ele pode ganhar um waza-ari (meio ponto). Dois waza-ari são iguais a um ippon. Se um competidor marca somente um waza-ari mas recebe uma séria falta cometida por seu oponente, é considerado vencedor.

Os juizes podem declarar um empate ou uma derrota em caso de não comparecimento de um dos competidores. No caso de ferimento, doença ou acidente, o árbitro e os juízes decidem o resultado.

Vestuário

No judô, a vestimenta chama-se Judogi. O quimono deve cobrir os quadris e geralmente tem uma abertura de 18cm (de baixo para cima) em cada lado, fortes lapelas de aproximadamente 4 cm de largura e costuras de reforço nas axilas e abaixo da cintura.

As mangas devem ser amplas e cobrir mais da metade do antebraço. As calças devem ser largas e cobrir até um pouco acima da canela. A faixa ata a jaqueta na cintura e é suficientemente longa para dar duas voltas ao corpo. É amarrada com um grande nó quadrado e suas pontas são de 15 cm. Uma faixa branca ou vermelha distingue os competidores.

Faixas do judô

As faixas do judô simbolizam o grau de aprendizado conquistado pelo atleta. Cada faixa tem um significado, simbolizando não apenas as habilidades do judoca, como outros elementos simbólicos. Primeiro temos a graduação Kyu:

  • Branca (Mu-Kyu): Significa a pureza;
  • Cinza (Shiti-Kyu): Identifica a mudança na pureza do judoca;
  • Azul (Ro-Kyu): Significa “céu”, fazendo uma analogia ao crescimento de uma árvore;
  • Amarela (Rokku –Kyu): Em alusão ao sol, significa crescimento e fortalecimento;
  • Laranja (Yon –Kyu):  Simboliza calor e a busca por encorajamento e confiança;
  • Verde (San –Kyu): Representa fé e esperança;
  • Roxa (Ni –Kyu): Reflete auto respeito, humildade e santidade;
  • Marrom (Ichi –Kyu): Simboliza solidez e constância disciplinar;
  • Preta (Shi –Kyu): Simboliza a junção de todas as cores, assim como seus significados.

Em seguida, temos graduação Dan, representada pelas faixas nas cores:

  • Coral (Rokudan, Shitchidan e Ratchidan): Mescla a vermelha e a branca;
  • Vermelha: Cor do fogo, simboliza paixão e vibração.

O judôgi representa a mente do atleta, e as faixas do judô o seu caráter. Portanto, um praticante de judô nunca deveria desamarrar e remover sua faixa na frente de um graduado superior.

faixas-do-judo

Técnicas de solo

Pelas regras do judô, os competidores podem aplicar técnicas de solo (ne-waza) quando:

  • O atacante mover-se diretamente para ne-waza depois de ter derrubado o adversário à lona;
  • Quando um lutador cai;
  • Se o outro lhe aplica uma ‘gravata’ ou ‘chave*;
  • Depois de qualquer técnica hábil que não se qualifica como um golpe;
  • Em qualquer outra situação na qual o competidor cala ao chão.

Regras do judô – Infrações

De acordo com as regras do judô, é proibido:

  • Golpear de dentro para fora a perna de apoio do oponente (embora seja licito enganchar seu dorso do pé);
  • Tentar Jogar o outra mediante entrelaçamento de uma perna ao redor de sua perna (kawazugake);
  • Cair para trás deliberadamente quando um oponente está agarrando pelas costas ou quando qualquer um dos competidores controla o movimento do outro;
  • Adotar uma atitude excessivamente defensiva ou não atacar;
  • Empurrar o oponente para o chão com o propósito de iniciar uma luta de base;
  • Segurar o é ou a perna do oponente com o propósito e mudar para ne-waza, ao menos que seja demonstrada habilidade excepcionai;
  • Colocar a mão, um braço ou perna diretamente na face do oponente ou levar seu judogi à boca;
  • Manter, enquanto deitado de costas, uma perna sobre o pescoço do oponente quando esse tenta levantar-se ou estar em posição de joelhos para levantá-lo;
  • Aplicar chaves de junta (kansetsuwaza) com exceção da de cotovelo;
  • Pôr em perigo a espinha ou o pescoço do oponente;
  • Levantar um lutador que está deitado de costas para jogá-lo outra vez à lona;
  • Quebrar os dedos;
  • Sair intencionalmente ou forçar o oponente a sair da área de combate;
  • Segurar continuamente a roupa do oponente no mesmo lado com ambas as mãos, o cinto ou a parte de baixo do quimono com uma mão;
  • Alcançar o interior da manga ou a parte de baixo das calças;
  • Segurar entrelaçadamente os dedos do oponente;
  • Desarrumar deliberadamente o uniforme;
  • Desrespeitar o juiz;
  • Fazer gestos e observações obscenas;
  • Tomar atitude contrária ao espírito e às regras do judô.

Penalidades

O árbitro tem poder para considerar quatro penalidades de muita gravidade: shido, chui, keikoku e hansokomake (desclassificação). Para keikoku e hansokomake o árbitro deve consultar seus juízes e obter decisão maioritária antes de impor as punições. Cada uma das três primeiras penalidades conta contra o ofensor, na tributação dos juízes ao final da luta.

História do judôjigoro-kano

Originalmente o judô é um método de autodefesa, desenvolvido no Oriente. Foi fundado no Japão em 1882 por Jigoro Kano, um estudioso das artes marciais orientais.

Jigoro Kano fundou, no mesmo ano, o instituto Kodokan (Ko=estudo / Do=caminho / Kan=instituto), onde pôde ensinar a prática do judô não apenas como autodefesa, mas como uma arte que fortalecesse o corpo, a mente e o espírito.

Internacionalmente, os campeonatos de judô são regulamentados pela  International Judo Federation (IJF) ou, traduzindo, Federação Mundial de Judô.

Gostou desse artigo sobre as regras do judô? Compartilhe!

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*